Imobilidade de mais, governo de menos!

A magnitude dos problemas urbanos no Brasil fica cada vez mais evidente: greve dos trens em Sampa deixa 2,5 milhões de pessoas sem mobilidade!
Ademais, matriculamos mais de 1,4 milhão de novos carros + 756 mil novas motos nestes primeiros 5 meses de 2011.  Muitos veículos, poucas vias!
Ou seja, o país (onde o governo parou, por conta da crise do Palocci) está sem mobilidade mesmo!
UM CAOS TOTAL!
E o governo: SUMIU!

3 Respostas to “Imobilidade de mais, governo de menos!”

  1. Victor Says:

    Desculpe-me intervir, mas o governo federal (aí incluído Palocci) não tem nada a ver com a greve de trens em São Paulo. Que eu saiba, este está sob jurisdição de outra pessoa…

  2. jccavalcanti Says:

    Caro Victor,

    Se tivesse prestado atenção, veria que eu tratei dos problemas urbanos do Brasil. Sampa foi um exemplo, dentro do país, mas o que acentuei foi o número de carros e motos novos emplacados no Brasil!
    E se tratando de Brasil, há um governo federal só!

  3. Victor Says:

    Caro,

    transporte urbano e metropolitano não é responsabilidade do governo federal. São Paulo é o exemplo extremo no caso nacional por ser a maior cidade, e, por isso mesmo, precisar de maior regulação e planejamento.

    O número de carros e motos vendidas vem dar suporte como informação para esse planejamento e regulação: ele próprio não pode ser objeto de regulação. Não se pode limitar o número de carros vendidos, quem faz isso é o mercado.

    Não é uma questão de partido, mas de competência administrativa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: