Uma análise do Plano Nacional de Banda Larga enviado pelo FCC ao Congresso americano

Acabei de receber pela newsletter da Telebrasil que a FCC (a ANATEL dos EUA) enviou ao Congesso dos EUA o Plano Nacional de Banda Larga daquele país!

========
Uma análise do Plano Nacional de Banda Larga enviado pelo FCC ao Congresso americano
BANDA LARGA
FCC envia ao Congresso norte-americano seu Plano Nacional de Banda Larga para o século XXI

A FFC – Federal Communications Commission –, que trata das telecomunicações nos EUA – enviou, em 16 de março último, ao Congresso norte-americano o que chamou de “road map” para o século XXI. O plano prevê alcançar todos os recantos do país com uma Internet “robusta”, a que todos possam ter economicamente acesso. A previsão é de conectar, na década, 100 milhões de residências, com um serviço a 100 Mbit/s.
Segundo a FCC, o plano, cujo o nome (“Connecting America: The National Broadband” ou “Conectando a América – a banda larga nacional”) já diz quase tudo e se destina a transformar a economia norte-americana e a dotar a sociedade do país do norte com a “rede de telecomunicações do futuro”.
Numa espécie de “mea culpa” – que bem poderia servir de exemplo a outros países –, admite a FCC que a nação falhou na utilização do poder da banda larga para prestar serviços governamentais nas áreas da saúde, educação, segurança pública, conservação de energia, desenvolvimento econômico e outras prioridades nacionais. Mesmo nos EUA, 100 milhões de americanos não possuem ainda banda larga em casa e 14 milhões não têm acesso a este meio, ainda que assim o desejassem.
Maior mercado de banda larga do mundo
O megaplano prevê criar, até 2020, o maior mercado de banda larga do mundo, gerando novos empregos e empresas. Prevê conectar nada menos que 100 milhões de residências, com serviços a 100 Mbit/s. As comunidades dos EUA terão a altíssima velocidade de 1 Gbit/s, conectando sua principais instituições como escolas, hospitais e instalações militares.
Toda criança norte-americana deverá ser, ao deixar o ensino médio, um alfabetizado digital. Leia-se, aqui, utilizar computador ou equivalente e navegar na Internet. Escolas, bibliotecas e populações vulneráveis das comunidades rurais não foram esquecidas. O plano prevê prover banda larga a custos acessíveis e reorientar o Fundo de Serviço Universal – o Fust de lá – para passar da tecnologia analógica de ontem para a infraestrutura digital de amanhã.
A FCC também recomenda que haja competição no “ecossistema da banda larga”, dando-lhe maior transparência e removendo barreiras para novos entrantes. As análises de mercado deverão levar em conta preço, velocidade e disponibilidade da banda larga.
O item segurança não foi esquecido pelos norte-americanos. Ela deverá ser melhorada pelo provimento do acesso imediato a uma rede nacional pública sem fio destinada para este fim.
Setenta e cinco mil páginas de comentários públicos
O plano, fruto do American Recovery and Reinvestmente Act of 2009, foi produzido com rigor, abertura e transparência – os interesses são muitos e variados – pelo grupo de trabalho da FCC, relata a própria comissão.
A FCC cumpriu exaustivamente o dever de casa e fez questão de divulgar as estatísticas de seu trabalho. Foram 36 workshops, nove audiências e 31 avisos, tudo aberto ao público. Foram produzidas ainda 75 mil páginas de comentários públicos. O debate prosseguiu on-line, com 131 blogs com 1,5 mil comentários. Ideias foram debatidas e votadas na Internet e angariaram 6,1 mil participações. As redes sociais – YouTube e Twitter – contribuíram fortemente para aumentar o volume de informações, numa demonstração de democracia eletrônica. Além disso, o grupo de trabalho da FCC também conduziu pesquisa e levantamento de dados independentes.
Metade das recomendações do plano – um vasto documento que pode ser acessado em http://download.broadband.gov/plan/national-broadband-sem.pdf – é voltado para a própria FCC e as restantes para o Congresso, para o poder executivo do presidente Barack Obama e para os governos estaduais e locais. O plano também leva em consideração o setor privado e o setor sem fins lucrativos. Mais informações podem ser obtidas em http://www.boadband.gov. (JCF)

3 Respostas to “Uma análise do Plano Nacional de Banda Larga enviado pelo FCC ao Congresso americano”

  1. Elwood Says:

    After I initially commented I appear to have clicked on the -Notify me when new comments are added- checkbox and now
    every time a comment is added I receive 4 emails with the exact same comment.
    Perhaps there is a way you can remove me from
    that service? Thanks!

  2. v2 Cigs coupon October 2014 Says:

    On 3 often gets packed with celebrities.

    These are the leading companies of electronic cigarettes in the marketplace today.
    There is no fire or several dangerous chemical substances
    ingested or expelled. Replacements of orders are quick, and there are fewer complaints.
    For the more traditional smoker crowd, a normal flavor that imitates practically each key smoking
    cigarette brand is obtainable.

  3. Santiago Says:

    Thanks for the auspicious writeup. It actually used to be a enjoyment account it.
    Glance advanced to more added agreeable from you! However,
    how could we communicate?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: